Postagens

Mostrando postagens de 2011

Pelos rios sigo, liberto... e libertando, vou me curando...

"O tempo voa. O tempo não espera por ninguém. Ele cura todas as feridas. Tudo que qualquer um de nós quer, é mais tempo. Tempo para se pôr de pé. Tempo para crescer. Tempo para se desprender. Tempo." (Grey’s Anatomy)


Pelos rios sigo, liberto... e libertando, vou me curando...

Esse ano foi especial. Caminhei pelas dores mais profundas, tudo que fiz, foi profundo. Aliás, descobri que gosto de coisas intensas, duradouras, apaixonantes e profundas...

Dancei como uma valsa...

Para aqueles que acompanham a minha história, sabem que tinha muita coisa para resolver e muita coisa para curar. E não adiantava fazer curativos superficiais... pelo menos sei que assim vivi por alguns anos, até me dar conta que...

Tinha que curar.

Fiquei doente, e essa doença me serviu para me por em contato com a dor. Posso hoje dizer que foi uma das melhores coisas que aconteceram comigo... fui obrigada a olhar a dor de outra forma e encarar que na vida tudo acontece por um motivo, por mais que esse motivo,…

O vôo!!!

Quando estamos la em cima, avida é muito diferente. As cores intensas. Cheiro de natureza. Sensações. Mesmo sabendo que passaria por intensa emoções, consegui me controlar. Estava tranqüila, Seria algo totalmente novo e diferente para mim.


Pela primeira vez, não estava ansiosa com o encontro do desconhecido.

E tinha que aprender a confiar em tão pouco tempo em alguém que nunca havia visto.

Logo embarcaríamos e ai, não teria volta. Faltaria pouco para cair. Logo, as portas se abririam. E o vento.... ai o vento.

Portas abertas. O salto.

Nada, absolutamente nada, passou na minha cabeça. Só a beleza das nuvens e do lugar.

Nada, absolutamente nada, e era algo tão intenso, tão transformador.

Quem me conheceu há alguns anos, sabe o que isso significava para mim. Deixar de controlar, deixar de pensar no futuro, passado. Ali so estavam nuvens, vento, avião, instrutor, rafaella e eu.

Coisas que se fortalecem quando se salta de paraquedas: a) tudo na vida vem e vai muito rápido; b) entregar-se…

Contos...

Quando criancas nos desapegamos de tudo, tudo é sempre novo, tudo sempre começa e recomeça o tempo todo. Quando adultos, vivemos com uma bagagem pesada, cheia de crenças, regras, padrões, certo, errado, bem, mal.

Quando criança, acreditamos nos contos de fadas, e paramos por horas apreciar a beleza das flores.

Quando adultos, compramos as flores, colocamos naquele canto da casa, e ai fica. Ate a semana seguinte, quando precisamos comprar novamente.

Desapegos. Palavra que quando adulto não praticamos.

Quero poder acreditar nos contos de fadas, quero poder acreditar que nos castelos de areia vivem príncipes e princesas, sonhando com um final feliz. Quero acreditar que tudo é possível e so basta querer.

Quero limpar minha alma e deixa-la pura para sempre recomeçar. Sem dores, sem sofrimento, simplesmente aceitando a beleza de todos os momentos. Aqueles que vem e que vao, sem nunca avisar.

Onde estavam os meus sonhos, enquanto existia com regras e padrões limitantes, que me impediam da v…

Rastros...

Hoje no silêncio da tarde fui caminhar... e ver a praia de uma maneira que só eu poderia ver. Não queria companhia, só queria meus pensamentos, colocar algumas coisas no lugar. É engraçado quando escolhemos estar na solidão, junto a tanta gente...
Meus companheiros de caminhada: a areia, o mar, o vento...e o final de tarde. Caindo no horizonte e fazendo o vento soprar mais forte. Brisa do mar.
Os passos na água limparam algumas sentimentos que tinha que processar. Mas pra limpar, primeiro pedi que se fossem. Algumas coisas ficaram mais perto de mim nessa viagem... que eu tenho o direito e a permissão de ser feliz.
E que tudo o que tem que acontecer, acontece no tempo certo. Nem antes, nem depois. Ao tempo. EXATO.
Realmente algumas vezes não tenho total clareza de alguns acontecimentos da vida, mas como não tenho o mínimo controle, basta que eu aprenda a respeitar, fluir e soltar. Para que possam ir junto às ondas do mar.
Na areia deixei alguns rastros e juntos deles, limpei alguns…

Livre....

Quem acompanha a minha história sabe que a perda nos leva para o fundo do poço... mas é ela que nos dá a esperança de que temos um poder interno que nos faz ressurgir e ser melhores a cada dia. Eu realmente acredito que foi ela que me transformou no que sou hoje... As pessoas transitam por aqui e se vão... mas elas continuam vivas no nosso coração. E é por elas que decidimos continuar a jornada. Viva o amor em vida, essa é a maior lição. Ventos que levam são os mesmos que trazem! Esperança!
Estamos vivendo momentos de muita transformação espiritual e com eles, nossos sonhos tambem emergem.. às vezes caminhamos por aqui simplesmente por caminhar... até que despertamos e vemos que tudo isso tem um sentido maior, que ás vezes nao podemos entender, mas existe. Nos esquecemos dos nossos verdadeiros sonhos, daqueles que estao dentro da nossa alma, na nossa essência e ficam perdidos, até que... até que nos encontramos com eles, e pronto. Tudo pronto para ressurgir.
Acho que a vida só pode …

A trama da vida e suas histórias..

As minhas palavras são minha arte... e com elas expresso minha verdade. Mas minha verdade não é a verdade da vida, é apenas a verdade que aprendi a viver. E assim começo o que aconteceu nesses dias de reflexão....
Pois o tempo de Deus nunca é igual ao nosso tempo.. e isso foi o que aconteceu durante essa semana, por algumas vezes essa dúvida veio a minha cabeça e pensei muito à respeito disso, até que decidi simplesmente deixar. E eu acho que as coisas fluem quando tem que fluir.. nada é casual na trama da vida e com o tempo chegamos a entender cada uma das coisas que acontecem nessa história (às vezes o tempo parece eterno, mas se esperar, as respostas chegam).
Por muitas vezes quis controlar, muitas vezes não deixei acontecer. Por outras tantas, me desesperei..... não respeitei o tempo correto das coisas. Tentei forçar o acontecimento, tentei instigar que ele acontecesse do jeito que eu achava que deveria acontecer. Mas... não funciona assim, as historias tem seus inicios, meios e …

Hoje sonhei com o amor...

Hoje sonhei com o amor... era algo tão simples e tão puro... me diziam que eu merecia o amor. Assim, simples...
E puro.

Alguma vez deixei de merecer?
Foi tão terno e tão lindo. Aquele sentimento, que há tanto não reconhecia.. foi bom e inspirador.

Uma incrível sensação de que eu tinha a permissão divina de amar e ser amada. Por mais que pudesse e tivesse que esperar... o sentimento existia.
Essa sensação invadia meu corpo e meu coração, e num acordar... desapareceu.. mas ficou a sensação de que aquilo poderia e deveria acontecer na minha vida.
Era uma questão de escolha. Minha essência estava me liberando e me permitindo novamente sentir o mais incrível dos sentimentos.... tudo uma questão de merecimento.
E quantas vezes me permiti merecer? Ou quantas vezes acreditei resistir a ele?
E de repente, em lapsos de segundos, vibrou.
E nunca mais pude esquecer como é o amor...

Mãos dadas

Eu procuro um amor

Que seja bom prá mim

Vou procurar

Eu vou até o fim... (Frejat)

Estou construindo a relação mais importante da minha vida, a relação comigo mesma... aprendendo a me amar e só assim, permitir que o amor aconteça na minha realidade... me liberto da desesperada necessidade de amar e, no lugar disso, permito que encontre o espaço tempo perfeito para ele se manifestar...
O amor comigo mesma me permite a liberdade de ser quem eu queira ser. Disfruto do amor, sou livre para andar e voar. As relações com meu mundo externo refletem a plena relação que tenho com meu mundo interno.Só o amor é real.
"Para apaixonar-se basta estar distraído." - Vinícius de Morais


E nessa relação de amor comigo começo a desejar um sentimento ainda desconhecido... e aparece na minha realidade a grande existência da não solidão... Começo a esperar o encontro... mãos dadas...

Mas como apreciar esse momento... tendo passado momentos de solidão, de intenso contato comigo mesma... passo a dar valor a…

A história...

Vamos supor o seguinte... Você entra na sala de cinema e, quando apagam as luzes, você percebe que está na tela... E aquele filme é a história da sua vida contada com seus dramas, romances, alegrias, tristezas. Esse é o grande filme, em que você é o dono da sua história. E você está lá, não é um mero personagem, porque nesse filme, você é o ator principal. É o seu filme. Você escolhe o elenco, o figurino, o roteiro e o final. Você escolhe os personagem que entram, que ficam, que se vão. Você decide. Você olha o mundo através dessa sua tela. E é essa tela que permeará a eternidade. Essa é a tela que lhe foi permitida. A tela em que você escolhe suas dores, amores, cores, sons. Essa é a minha mais nova consciência. Não era assim sabe... nunca soube que era eu quem era o personagem principal... talvez tenha me perdido nas histórias de outros... ou tenha me permitido viver outras histórias... Por isso digo, que a consciência.. ah, consciência, aquela que nos deixa lúcidos, nos faz ver aqui…

Assim, tão simples, sem controle...

Quando cremos que estamos preparados para enfrentar aquilo que mais nos dá medo, a vida nos orienta a parar. Sempre achamos que tem tempo para tudo, para processar aquilo que ficou para tras mas ainda não cicatrizou. As vezes achamos cedo demais que estamos prontos... mas ainda bem que a vida sempre tem as lições certas nos momentos certos.



Não é fácil enfrentar o medo, aquilo que mais tememos, isso é o medo que rompe o ruído na escuridão e nos faz acreditar que não somos tao poderosos como realmente somos. Alias ainda acho que o medo nos impede de ser feliz porque nos boicotamos para a felicidade. É mais fácil ser infeliz, é mais fácil gritar na escuridão e esperar que outros nos atendam que caminhar na alegria, sozinhos e acreditar que somos os únicos que realmente podemos nos fazer feliz.

Quantas vezes lutei contra a felicidade? E quem me garante que não continue lutando? O engraçado que é contra a felicidade. E não a favor dela. É como num jogo de futebol, em que atacamos o time …

Quando as coisas precisam acontecer...

“Sinto que corre sangue nas minhas veias, estou consciente pela primeira vez, adoro me sentir assim”.. essas palavras ressoaram no ar e fui lá dentro de mim me perguntar quantas vezes tinha me sentido consciente assim... responsável por mim... fortalecida... e as palavras não puderam traduzir a dimensão do que eu senti ou sentia até chegar a ser quem eu realmente era agora. Foi numa noite de frio intenso que escutei aquela frase, que depois se traduziu com mais ansiedade numa outra frase que me estremeceu. ‘Estou sóbria’. Sóbria no sentido de estar lúcida, de reconhecer quem eu sou, quem eu fui, e quem eu serei. Quantas vezes havia me sentido assim?


Tentei não me emocionar com aquelas palavras, mas quando meu coração percebeu que aquilo tudo que havia escutado valia muito mais do que aquelas simples letras conexas, juro que estremeci. Havia entendido o sentido daquilo tudo. Havia entendido que tudo tinha sentido. Quando eu duvidei, os sinais me mostraram que aquele era o caminho cor…

Flores que nascem, crescem, morrem e voltam a nascer... e crescer....

Quando aconteceu... achava que um dia acordaria do pesadelo e tudo se transformaria como num passe de magica. Como num milagre... Algumas pessoas me diziam, seja forte, outras, não chore, não adianta, outras ainda... enfrente, você pode... na verdade naquele momento não podia nada, não sabia nada... não acreditava em nada. Estava em choque.
Ai os dias se passavam, e as coisas voltavam à normalidade. Normalidade para quem? Para mim estava tudo diferente, tudo do jeito que eu não gostaria que estivesse. Mas era o jeito que tinha que estar. Eu não entendia isso. E eu tentei recomeçar do jeito que eu não sabia como, era o único modo de sair daquele lugar, daquele estado de encontro comigo mesma... nada me ajudaria, era só eu e eu e mais eu... mas fugi.
E a vida continuou.. e as horas se passaram, os dias se passaram, os meses se passaram, anos... e...
Hoje entendo tudo, vejo tudo tão claramente... Tudo foi uma grande lição de vida. Tudo tão obvio, estava bem na minha cara e eu não via. …

O poder das sábias perguntas...

(Escute essa oração. É poderosa. Clique aqui)

Há meses que não escrevo.... Tinha tantas perguntas, mas não encontrava as respostas... Porém, não sabia que essa era a base de tudo: As Perguntas... que perguntas eu fazia para mim mesma? Quantas vezes me perguntava o que eu queria, o que eu esperava...


Perguntas...

Me perguntava quando encontraria verdadeiro significado na minha vida, me perguntava quando acharia todas as respostas.. e não saia daquele ciclo que não me levava a nada, somente a mais perguntas..

Respostas...

Ai um dia, eu acordei e entendi que as respostas só chegariam quando eu estivesse preparada para entendê-las.. a vida já tinha tentado me falar de diversas formas, e eu não tinha prestado atenção aos diferentes sinais, então... Precisava mergulhar no meu mais profundo eu, dentro do meu coração e, a partir dessa queda, entenderia os verdadeiros significados... e então, eu tive um...

Despertar...

Acordei.

Foi daí que entendi que tinha que perdoar a mim mesma. O passado j…

Enquanto houver perguntas que eu não tenha as respostas... escreverei...

Enquanto houver perguntas que eu não tenha respostas, continuarei a escrever. Parafraseando Clarice Lispector, foi a forma que encontrei de tentar achar respostas para as perguntas que ainda soam na minha vida. Por diversas vezes na minha vida, fiquei sem respostas. E por inexperiência, tentei forçar para que as explicações chegassem. Com o tempo, se aprende que não adianta forçar, tem que saber esperar, porque as respostas sempre chegam.
Essas foram algumas das reflexões que tive durante meu estado de esperar. Assim mesmo o determino porque num caso de uma doença, não temos controle sobre o nosso corpo. E por mais que saibamos que o corpo sempre responde aos nossos sentimentos, às vezes não sabemos entende-lo e, muitas outras vezes, não sabemos parar para escutá-lo. Isso é o pior. Quando por mais que ele fale, ou nos alerte, não o respeitamos. E foi assim que aconteceu. Ele falou Pare e tudo teve que parar. E ai veio a espera.
E nessa espera, encontros. Encontros muito forçados, dir…