Quando as coisas precisam acontecer...

“Sinto que corre sangue nas minhas veias, estou consciente pela primeira vez, adoro me sentir assim”.. essas palavras ressoaram no ar e fui lá dentro de mim me perguntar quantas vezes tinha me sentido consciente assim... responsável por mim... fortalecida... e as palavras não puderam traduzir a dimensão do que eu senti ou sentia até chegar a ser quem eu realmente era agora. Foi numa noite de frio intenso que escutei aquela frase, que depois se traduziu com mais ansiedade numa outra frase que me estremeceu. ‘Estou sóbria’. Sóbria no sentido de estar lúcida, de reconhecer quem eu sou, quem eu fui, e quem eu serei. Quantas vezes havia me sentido assim?


Tentei não me emocionar com aquelas palavras, mas quando meu coração percebeu que aquilo tudo que havia escutado valia muito mais do que aquelas simples letras conexas, juro que estremeci. Havia entendido o sentido daquilo tudo. Havia entendido que tudo tinha sentido. Quando eu duvidei, os sinais me mostraram que aquele era o caminho correto. E quanto mais me fortalecia, mais poderia fortalecer a outros. E esses outros poderiam fortalecer a outros e mais outros e mais outros...
Dona de mim e da minha história, livre de expectativas e aberta às possibilidades. Tudo no seu tempo certo, nem antes nem depois. Ao tempo.

Foi assim que me senti quando as angustias tentavam dominar meu entusiasmo, ou simplesmente a alegria de novamente ou pela primeira vez na vida, tomar as responsabilidades do meu destino. Deixando fluir, simplesmente deixando acontecer o inevitável... o Amor.


Amor, que palavra tão simples e tão misteriosa, coberta de mil expectativas. Por que sempre nos confunde? Por que sempre tão polêmica? Se é tão simples de sentir, por que tantas dúvidas, medos, receios, necessidades e expectativas... e de novo essa palavra... Expectativa no sentido de esperar, de esperança, de acontecer aquilo que mais queremos. Esperança fundada em promessas, viabilidades ou probabilidades.. e o que são promessas, senão aquelas palavras criadas para se transmitir segurança, pois, diz-se que ela será cumprida.. e desde quando podemos prometer que algo será cumprido se nao somos donos dos acontecimentos??? Por esse fato e muitos outro prefiro acreditar que amar não se cobra, não se pede, amar simplesmente existe, sem cobrança, sem receio e sem angustia. Mas para que ele possa acontecer, temos que estar livres do passado e abertos ao novo. Até mesmo Caetano já admitiu: “É incrível a força que as coisas parecem ter, quando elas precisam acontecer”.

Comentários

  1. Como sempre, surpreendendo... Parabéns! Sou grata!

    ResponderExcluir
  2. Disso se trata a corrente do bem, a gente se cura e consegue assim, começar a ajudar a curar!
    Nao teria conseguido sem vc, fico grata!

    Beijo

    Gaby

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Navegante por esses mares...Caravelas....

O ciclo das rosas