Deixe-me brilhar como um sol... mas que essa luz não cegue a ninguém...

Passerá- Il Divo

Gostaria que as minhas palavras mudassem meus pensamentos. Mas muitas vezes sei que não é possível. Ainda tenho trabalhado com a raiva, a angústia e a nostalgia. E confiava plenamente que essas emoções com o tempo se dissipariam... ou melhor, assim pensava... mas se não fosse entendida, assim como estou fazendo agora, elas voltariam um dia, talvez em um outro cenário, com outros personagens, mas o fariam.

Alguns me diziam, a forma que você vê a vida, é o que você atrai para ela. Mas para isso, precisava crer no fundo do coração, e não de forma mascarada.

No dia exato que comecei a me levantar, nesse dia, começou uma nova batalha. Enfrentar as pessoas que achavam que eu não deveria. Alguns acreditavam que eu deveria continuar na dor, a ver a vida de forma pequena, quadrada, para essa pessoas, a vida não era eterna.

A nova batalha foi instalada, já que minha historia era um acúmulo de momentos em que dependia do julgamento dos demais. E continuava fazendo. Então comecei a usar a seguinte reflexão: tudo no momento certo, em cada dor, uma lição. E as os dias foram se tornando noite, e as noites se tornando dia, e passaram, fui melhorando, fui vendo sentido... e alguns me deram o ombro, outros, a mão, e outros ainda, não entenderam... e me julgaram.

Muitos pensavam que deveria viver na dor por anos, até que uma folha de esperança nascesse no horizonte e me recuperasse completamente, como um passe de mágica. Sentia que em cada ação, estava sendo observada. E julgada. Para bem e para mal. Tudo dependia da ótica.

Como ser dona da minha historia exigia que fosse dona das conseqüências dos meus passos, comecei a me importar menos e a perdoar. Foi então, que chegaram os julgamentos pela minha indiferença.

Mas enfim, ninguém vivia minha dor, ninguém vivia a minha luta, então, ninguém entenderia a minha reação.

Hoje ainda luto com esses olhares... ainda me afetam. Mas a minha dor faz parte só da minha existência. E os meus aprendizados também. Aprendi a ser eu mesma, com meus erros e acertos, com minhas dores e alegrias, angustias e felicidades. Aprendendo que da existência, só a luta é garantida.

"Não ser ninguém a não ser você mesmo,


num mundo que faz todo o possível, noite e dia,


para transformá-lo em outra pessoa, significa travar a


batalha mais dura que um ser humano pode enfrentar;


e jamais parar de lutar."


(E.E. Cummings)

Comentários

  1. Essa é uma das grandes batalhas, embora devesse ser a coisa mais natural do mundo: ser nós mesmos, independentes do mundo que está lá fora!

    Walk on!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ciclo das rosas

Navegante por esses mares...Caravelas....