sábado, 25 de agosto de 2012

As cifras

Tive medo quando tudo doía. Agora esgota a dor enquanto tudo é fácil. Agora exalto as flores, porque elas ensinam.
 Agora choro felicidade nos encantos serenos das luzes da lua no fundo do mar. Enquanto tudo é alegria, a saudade invade e, com ela, a imensidão do mar que chacoalha, achacoalha, mas nunca deixa levar.
Leva dores, amores, proporciona encontros, fáceis marolas. Intensas tempestades, mas nunca deixa de badalar. No ritmo das cifras, das ondas da orquestra, da regência mágica do grande maestro dono do mar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget