“Un dia a la vez, Hoy estás aqui y yo estoy feliz...”




Cada dia que começo a escrever, as palavras borbulham na minha cabeça. Dor, amor, perda, encontros, desencontros, força, fé, depressão, sofrimento, esperança. Hoje vou divagar sobre as perdas. Afinal sempre pensei que pudesse possuir algo. A perda sempre existe quando o poder toma conta da nossa alma. Quando meu marido morreu, perdi a esperança. Perdi muito, só não perdi tudo porque a minha filha era o maior ganho. Eu achava que possuía tudo o que mais queria. Afinal, TINHA minha filha, TINHA uma linda casa, TINHA um grande marido, TINHA um trabalho desafiador, TINHA meus amigos equatorianos próximos a mim. De repente me vi com tudo isso ao meu redor, mas sem a grande pessoa que me guiou para o Equador. Eu sempre dizia: “estou aqui por você”. E ele me respondia: “No, Pitus (assim ele me chamava), estás aqui por ti misma!!!” Para mim isso não era verdade. Mas ele estava certo. Amava estar lá. Lá também era meu lugar. Assim como aqui também é. Qualquer lugar seria, se eu estivesse bem.

Um dia ele estava aqui e eu tinha tudo, no outro, ele já não estava. E agora, o que fazer com tudo aquilo? Foram dias de depressão, de tristeza profunda, de falta de esperança. Perdi a vontade de viver. Ele já não estava ali. Para que seguir? Tive contato com muitas pessoas, algumas que recomeçaram, e outras que não conseguiram recomeçar... e eu??? O que deveria fazer??? Começar tudo outra vez?
Tomei a decisão de voltar ao meu país... depois de 6 meses da morte do Francisco. E comecei a me desapegar das coisas, de tudo... perderia o trabalho, perderia a minha casa, perderia meus móveis, estava tudo tão decorado, tão bonito, tudo no seu lugar... Desapego, outra palavra muito ligada à perda. Para desapegar, precisava sentir que não era meu... mas era!!! O que fazer??? Lançar ao Universo. Afinal a vida era feita disso, de perdas, de começo e recomeços, de dor e de alegrias.
Precisava me recuperar. Precisava seguir em frente. Não havia outra opção.
E foi o que fiz.... e agora estou aqui, reencontrando prazer na vida, e iniciando um caminho mais iluminado e mais próximo a minha verdadeira felicidade e a minha espiritualidade.
E agora digo uma coisa, se tiver que reiniciar de novo, farei. Já não tenho medo da perda... Só perdi algo porque era apegada... Como dizia uma amiga:Un dia a la vez, Hoy estás aqui y yo estoy feliz...”
Adelante siempre!!!

Comentários

  1. Q ARREPIO CAROL! LINDO! Desapego é uma palavra forte e uma atitude difícil, voce foi forte, DEUS te deu sabedoria e força para seguir adiante, e uma filha linda! Eu não sei oq faria em seu lugar, mas tenho certeza que qdo passamos por dificuldades a força interior aparece.

    ResponderExcluir
  2. Ola,visitei seu blog e me emocionei. Em 1 livro de Lya Luft ela escreveu: "A vida não tece apenas uma teia de perdas, mas nos proporciona uma sucessão de ganhos."
    Apesar da dor da perda sua filha estara sempre contigo para lhe fortalecer, admiro sua força e coragem.Bj grande...

    ResponderExcluir
  3. Mocinha, cada um de nós tem seu processo de encontro consigo mesmo. Você está no seu caminho e ninguém disse que ele seria fácil. Mas a grande diferença é que você voltou a ter esperanças de encontrar a felicidade, não no outro, mas dentro de si mesma. O Desapego é quase impossível, tendo em vista que somos seres limitados e precisamos do outro (s) para nos estendermos. Nossa vida começa a fazer sentido quando cruza com a de outras pessoas que ela coloca sua pedrinha em nosso caminho sagrado. Eu sou apegada a muitas pessoas/coisas e acho que o mais difícil não é o desapego é admitir que essa pessoa/coisa faz parte de nós mesmas. Continuarei me apegando, sem medo da perda, pois há muito prazer nisso, prazer maior do que a dor de perdê-lo. Mas concordo numa coisa, não podemos pautar nossa vida em questão de outras pessoas e sim, ir seguindo naturalmente o curso para o qual estamos predestinadas.
    Beijos
    Te adoro muito!!! Conte sempre comigo.
    =)

    ResponderExcluir
  4. como eh dificil reconhecer os ganhos depois das perdas, ne! so os sabios mesmos...ainda sou uma aprendiz. obrigada pelos comentarios... Lilian, adorei teu blog tambem, ja fazemos parte da mesma historia... como diz voce... beijos

    ResponderExcluir
  5. O que posso dizer é que hoje você está aqui novamente e por isso estou feliz, pela sua alegria, força e sabedoria! Todos sempre estivemos com você em pensamento e em espírito, e o seu bom momento de agora também nos dá forças para seguir na luta pessoal de cada um de nós!

    Super beijo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ciclo das rosas

Navegante por esses mares...Caravelas....