Não me calo mais...

Palavras se congelaram. Como eu.


Não sei quanto tempo se passou desde que pude escrever as últimas palavras, mas muita coisa ficou dentro de mim durante esse tempo. Algumas perguntas sem respostas e outras perguntas, respondidas.

Também não sei quantas pessoas passaram e se foram. Assim como num piscar. Muita coisa aconteceu. Profundas ou não, elas se foram. Outras ficaram.

Mas agora, as palavras voltaram a surgir. Porque se me calo, elas gritam dentro de mim.

Não posso mais calar, porque existe algo a se dizer.

Já se passaram quase 4 anos desde o evento que mudou minha vida. E desde lá, não sou mais a mesma. Dei alguns passos em direção à realidade bem diferente daquela.

A saudade vive dentro, mas agora, é diferente. Coexistimos juntas, como uma só para criar uma nova forma de ser. Dentro, sempre haverá estará ela.

Mas essa Ela, já não tira lugar de outras saudades que existirão. Porque agora ela simplesmente faz parte.

E desse fazer parte, recria uma nova oportunidade. E de oportunidades começo viver a vida, esperando o que ela pode trazer de melhor.

Basta amar.

Comentários

  1. Peguei as palavras que vieram de você e juntei com outras palavras que estavam aqui comigo e saiu isto:
    -
    uma cadeira vazia...
    um lugar que deveria estar ocupado...
    uma cadeira vazia ao lado da imensidão do mar,
    um vazio ao lado da eternidade,
    um abismo entre abismos,
    uma solidão sem fim que repousa na poesia e singeleza de uma flor,
    não é um sentimento de ódio, mas um sentimento de amor,
    de saudade
    lugar de silêncio...
    mas o que é o silêncio?

    É o silêncio que revela o que está no coração.
    No mundo há tantas palavras agitadas,
    parecemos pobres engenheiros,
    carregando cálculos, projetos,
    ...discursos são construções.

    As mais belas pinturas surgem no vazio da tela.
    Palavras mal-ditas surgem na opressão do silêncio,
    são palavras revoltadas, fugitivas, em estado de rebelião.

    Silêncio é clamor da alma
    emergindo das profundezas.
    Palavras sonham explicar o sentimento,
    Silêncio é sentimento que a palavra não explica.

    Penso que por isso as palavras gritam...
    é o silêncio que precisa ser ouvido
    silêncio que deseja comunhão,
    silêncio que não quer ser solidão
    silêncio que quer ser ouvido
    percebido,
    acolhido,
    silêncio que espera da vida o melhor
    (com Carolina Mirabeli, mesmo sem ela saber, rs). Abs, amiga, seu texto é lindo!

    ResponderExcluir
  2. Alma sabe bem quando palavra cai do pé e vira no poeta o seu caminho,
    o seu fruto e seu espinho
    multidão ou eu sozinho
    ... que alimenta!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Navegante por esses mares...Caravelas....

O ciclo das rosas